top of page
  • Foto do escritorRafaela Miranda Dardengo

Como vim parar em UX?

Ao longo da minha experiência como designer desenvolvi sites e trabalhei com interface de aplicativos. A iniciação nessa área abriu uma porta de possibilidades na carreira de UX, hoje, vejo mais importante do que nunca os processos de UX na criação de projetos digitais.

Meu primeiro projeto digital lá em 2015 eu não tinha noção nenhuma de UX, porém, para desenvolver tive que de alguma forma desenhar User Flows para entender de navegação. É muito comum que designers do gráfico acabem desenvolvendo um ou outro projeto digital, mas sempre de uma forma que agências vem trabalhando, pensando apenas na data final de entrega. Quando comecei a estudar UX me conectei imediatamente com os processos e com o propósito de trabalhar sempre pensando no usuário. Isso foi uma grande disruptura que eu estava buscando na minha carreira: ter autonomia, participar ativamente de estratégias e por fim, entregar um design com propósito funcionais, que não sejam apenas estéticos ou de escolha pessoal. Por fim, trabalhar em projetos que irão transformar as vidas das pessoas.

Em 2017 ganhei um prêmio de melhor HotSite na área de publicidade. Pensamos em uma navegação fluída e cheia de oportunidades através do calendário anual de 2018. Em 2017 ingressei na Pós em Arquitetura de Informação, buscando entender melhor a construção por trás de projetos digitais. No mesmo ano trabalhei como UI de uma freela, junto à um UX, onde tive a chance de criar minha primeira interface navegável e desenvolver todo o estilo de um APP para pais e mães que precisavam de uma agenda digital para seus filhos.



O projeto foi uma oportunidade para pensar em interações, alinhamentos e padrões visuais para uma UI eficiente. Já em 2018 e 2019 fiz uma transição na minha carreira muito importante, que foi deixar de trabalhar o mundo das agências para trabalhar em uma empresa gigantesca, onde tive que entender toda a estrutura, processos e a linguagem que eles trabalhavam. Nesses anos pude entender um pouco mais do universo digital: trabalhei com Gamification de um APP, na comunicação e estratégias. Trabalhei no E-commerce da Natura, onde tive que entender um pouco mais de consumidor final, fiz um pequeno styleguide de banners para a equipe de produção que trabalhava entregando diversos materiais para o marketing digital. Trabalhei com páginas internas de Ouvidoria, na página do Rock In Rio, e por fim com páginas de produtos que entregavam uma melhor experiência sensorial e de apresentação de produto.




2020 escolhi para ser um ano de mudança. Finalmente comecei a trabalhar com mais estratégias e atualmente trabalho em um projeto lindo chamado Nohs Somos, uma startup que através da tecnologia quer mudar vidas de pessoas LGBT, entregando um mapa interativo onde mostra lugares amigáveis e também uma funcionalidade de denunciar estabelecimentos que tiveram algum caso de LGBTIfobia. Ainda estou nesse processo, mas descobri que a mudança acontece de dentro para fora: em comportamentos, começando a ser ativa em projetos que atuo, compartilhando e colaborando com outras pessoas, e por fim, projetando sempre para usuários.

Comments


bottom of page